Uma bela colina, uma grande família de coelhos, uma coelhinha bem desastrada e um jogo chamado O Bem que Você Faz. Por que todos nós temos qualidades e somos todos capazes! Boa leitura.


O Bem que a Gente Faz

No alto de uma colina morava uma grande família de coelhos. Nessa colina havia uma nascente que formava um pequeno riacho e também uma grande horta colorida, que ficava branca de gotinhas de orvalho pela manhã. Todos os dias, a família se reunia para o café da manhã. Todos chegavam no horário, exceto Fani, que sempre se atrasava.


- Onde está Fani?









- Atrasada como sempre!








- Estou aqui, me atrasei mais cheguei!


       






Fani é uma coelhinha muito esperta, mas também esquecida, distraída e bem desastrada, era assim que sua família a descrevia.

Após o café, a família escolhia quem fará cada tarefa: cuidar da horta, buscar água, construir mais tocas, cuidar do jardim. Mais Fani era sempre a última escolhida.

- Ela sempre derruba os baldes de água.









- Ela molha os tomates, esquece as alfaces e come as cenouras.








- Ela fica por horas contemplando as flores e se esquece de regá-las.








 E às vezes ninguém escolhia a Fani, e ela começou a acreditar que realmente não era boa em nada que fazia, mesmo se esforçando muito para melhorar.
       
Não demorou muito para a família perceber que Fani estava triste, nem mais se oferecia para ajudar nas tarefas. Ninguém mais a via pulando pela colina e deixou de ir aos cafés da manhã. Assim, a família foi percebendo como Fani fazia falta e como ela alegrava seus dias.

- Fani é distraída, mas sempre foi uma boa amiga!








- É mesmo, ela é desastrada, mas um dia machuquei a pata e ela me carregou até a toca do médico.







- Ela e esquecida, mas é sempre a primeira a se lembrar do meu aniversário!








- Ela amassa as alfaces, mas nunca ninguém cuidou tão bem dos tomates!

     






   Todo mundo às vezes se esquece de algo, ou comete algum engano e se atrasara. Fani se esquecia e se atrasava mais que os outros sim, mas também tinha muitas qualidades. Afinal, todos temos nossas qualidades e somos muito bons em algumas coisas.
       
A família sentiu a falta da Fani, não apenas por sua alegria, mas pelas qualidades que eles não enxergavam. E tiveram uma ótima ideia: inventaram um jogo chamado “O BEM QUE VOCÊ FAZ”.
        
O Jogo é muito fácil, toda vez que alguém cometer um engano, se esquecer de algo ou cometer algum desastre, todos devem dizer sobre suas qualidades.
        
Então procuraram Fani para brincar de seu novo jogo.

- Não sei se devo jogar, certamente me esquecerei das regras.


- Fani, você sempre se lembra do meu aniversário.

- E também se lembra de todas as estações: primavera, verão, outono, inverno.       E isso me ajuda com as flores!




- Você se lembra de sempre ajudar a todos nos momentos que mais precisamos.

     






   Fani ficou surpresa e muito feliz de ouvir aquelas palavras. E então entendeu a regra do jogo. Ela percebeu que era também como todo mundo, que também tinha suas qualidades. O jogo era diferente dos outros, pois nele todos ganhavam. Fani se deu conta do bem que ela faz.

Se alguém diz que é desastrado,
 Achar que tudo faz errado,
Não o deixe chateado
Lembre-se do bem que ele faz
E da alegria que nos traz
E que é muito capaz




Deixe um comentário