Todo dia de noitinha, a gente podia ouvir de longe os cantos dos grilos. E tinha tudo para ser um lindo coral harmonioso, isso se Guido não fizesse parte do coral. Guido era um grilo que parecia ter nascido sem um pingo de dom para o canto: era muito desafinado. Além de nunca saber a letra e nem acertar a melodia, a única coisa que se ouvia dele era um grito comprido e agudo, em total desarmonia.


Todos os grilos ficavam desconcertados ao ouvir o canto rasgado de Guido, mas o pobre grilo não tinha culpa, ele até se esforçava, mas o canto não saia como era de se esperar. Guido já havia tentado aula de canto, terapia, massagem, e até dieta ele tentou, mas nada resolvia.

Certo dia Guido caminhava triste quando uma lagarta o viu e foi ao seu encontro, e assim começaram a conversar. Guido explicou por que estava triste. 
A lagarta então perguntou: 

- Porque que todo grilo só tem que cantar se existem tantas profissões diferentes?

Essa pergunta fez Guido parar e pensar, ele não entendia por que todo grilo já nascia predestinado à cantoria. E enfim chegou a uma conclusão:

- Oras! Porque não posso exercer outra profissão? Sim, eu posso! – E deu um pulo de felicidade que quase chegou até as nuvens, e aos pulos foi direto para casa escolher com o que ele gostaria de trabalhar. 

Nenhum grilo jamais se perguntou se era só cantar que gostaria de fazer pelo resto da vida. A maioria dos grilos nasce com o dom da cantoria, isso é fato, mas e se algum não nascesse com essa aptidão? Ou se não se sentisse feliz fazendo só aquilo? 

Guido se enchia de perguntas, mas nem todas as respostas ele tinha. Procurou outra profissão, mas estava tão acostumado a rotina do canto que não conseguir encontrar nenhuma. Inconformado, o coitado deixou sua alma falar. Ele precisava desabafar e escreveu num broto de folha o que seu coração lhe dizia a cada batida.

Nasci grilo e grilo sou.
Não sei cantar, mas sei falar de amor.
Sei que meu canto é um grunhido.
 E que não sei cantar bonito.
Mas isso não tem problema algum
A felicidade é de um jeito pra cada um.
Felicidade tem a ver com harmonia
Não sei harmonizar no canto.
Mas sei na poesia.

Depois que o grilo escreveu, toda sua família leu. Eles se emocionaram e, pela primeira vez, o compreenderam: entenderam suas dificuldades, mas valorizaram suas habilidades.

O grilo que não sabia cantar entendeu o mais profundo sentimento de felicidade, e sem saber que sabia fez sua primeira poesia. Aprendeu e reconheceu sua capacidade! Guido foi até a casa da lagarta para agradecer as palavras, mas não a encontrou. Uma linda borboleta surgiu em sua frente e disse:

- Olá Guido, vejo que agora é poeta. Eu deixei de ser lagarta, agora também estou liberta. Espero que agora você possa levar a harmonia para todos com suas palavras.

E a partir daquele dia todos só cantavam a sua poesia.


Gostou do Guido que não era cantor, mas virou poeta!? Faça o download dessa história clicando aqui :)


Deixe um comentário